sábado, 14 de julho de 2007

Oh, senhor! Livre-me da incompreensão infantil! Não me deixe a mercê de hormônios cruéis!
Santo, como eu amo esse garoto!

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Maldito espelho!
Como pode impassível jogar minhas rugas a face e assistir minha dor?
Odeio a ti mensageiro do tempo, que reflete meu coração em forma de lágrimas. Que desabona meu amor e julga meus atos.
Desbravemos terras selvagens, enfrentemos feras cruéis e imponentes. Esbarremos na ignorância do mundo. Depois provemos do belo sabor de flores suadas.
Ah! Quanta angústia meu deus!
Será o mundo incapaz de amar?
Incapaz de provar do amor?Será o moralismo tão claudicante quanto medieval?

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Desbravemos terras selvagens, enfrentemos feras cruéis e imponentes. Esbarremos na ignorância do mundo. Depois provemos do belo sabor de flores suadas.

Ah! Quanta angústia meu deus!
O tempo não perdoa corações sinceros e é isso que a vida tem de melhor.
Enquanto houver esperança o prazer não nos será negado!
Não se aflijas, eu imploro!
Não deixe de derramar seus olhos sobre os meus!Me cubra com sua inocência e me apresente um mundo de felicidades.

quinta-feira, 21 de junho de 2007

o sonho será sonhado
e o real vivido
para o amor, sempre,
nada mais importa
a dor não nos atingirá

quinta-feira, 14 de junho de 2007

alimentemos nossos sonhos proibidos,
proibidos pela hipocrisia,
caminhemos de mãos dadas e saibamos que o mundo assim nos fez

quinta-feira, 7 de junho de 2007

quarta-feira, 6 de junho de 2007

deixe seus dedos sentirem meu hálito
e bebe
ricarem seu sabor,
lambe minha carne e soria meu sorriso
deixe seus olhos tocarem minha face
e sentirem o rubor de minha vergonha

trabalho que estou fazendo com o William Pianco